Fundo SRDE - Sociedade Recreativa e Dramática Eborense

Zona de identificação

Código de referência

AMEVR/AI/AASS/SRDE

Título

Sociedade Recreativa e Dramática Eborense

Data(s)

  • 1895-2019 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte

294 u.i (219 Cxs., 46 Lvs., 16 Vols., 11 Pts., 2 dossiers), papel

Zona do contexto

Nome do produtor

História do arquivo

Fundada em 25 de abril de 1897 por convergência de vontades de uns quantos admiradores e amantes da Arte Teatral, adotou a denominação de “Grupo Recreativo e Dramático Eborense”.
Em 16 de novembro de 1910 mudou a designação para “Sociedade Recreativa e Dramática Mocidade Eborense” e em 1 de março de 1940 adotou definitivamente a denominação de “Sociedde Recreativa e Dramática Eborense”, também vulgarmente conhecida por (Antiga Mocidade).
Trilhando o difícil caminho de Associação recém criada conseguiu a sua primeira sede, alugada como todas as outras, até à aquisição de sede própria, na Rua de S. Domingos, mudando posteriormente para a Rua Bernardo de Matos, em data que não podemos precisar. Em 1904, transitou para o Palácio dos Condes de Basto, no Pátio de S. Miguel, onde se manteve até 1962.
Forçada a sair do Palácio para que este seguisse para restauro, instalou-se provisoriamente nuns barracões contíguos ao Pátio de S. Miguel, durante 10 anos.
A 27 de maio de 1973, conseguiu inaugurar Sede própria, na Zona de Urbanização nº3, onde ainda hoje se mantém.
Desde a sua fundação a Sociedade dedicou-se ao Recreio e à Cultura dos seus associados e das populações em que se encontra inserida, nomeadamente através da representação teatral, festas, bailes, concertos, exposições, jogos, etc.
O Teatro, razão de ser da sua fundação, em 1897, continua e continuará a ser, a nível cultural, a principal atividade da Coletividade que lhe tem dedicado um carinho especial ao longo da sua existência.
Tentando dinamizar a vida cultural tem organizado regularmente os Jogos Florais Alentejo, de âmbito Nacional que, ultrapassando todas as expectativas, rapidamente transpuseram fronteiras ganhando foros de Internacionais.
Sempre que possível organiza exposições, como foi o caso de 1984, em que foram expostas obras de Paulino Ramos, José Augusto Barrisco, António Palolo e Manuel Madeira da Rocha.
A Coletividade dispõe de uma Biblioteca com cerca de mil volumes, de salas de convívio para entretenimento, onde organiza anualmente diversos torneios de Ténis de Mesa, Sueca e Snooker. Regularmente organiza bailes no Salão de Festas e na Esplanada ao ar livre, festas para crianças e idosos, Festivais de folclore, Bandas de Música, Grupos Corais, Encontros de Poetas, sempre dentro de um espírito de confraternização, respeito e amizade que deve pautar as relações entre as pessoas, e que tem servido de incentivo aos Corpos Gerentes da Associação a prosseguir a sua missão.

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Documentação criada pela Associação em função da sua atividade.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Cronológico

Zona de condições de acesso e utilização

Condições de acesso

A documentação poderá ser acedida na Sede da própria Associação.

Condiçoes de reprodução

A reprodução só será possível mediante autorização da Associação.

Idioma do material

  • português

Script do material

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos


  • Natureza do suporte – papel;
  • Tecnologia do suporte – manuscrito e impresso;
  • Estado de conservação – Bom

Instrumentos de descrição

Inventário, disponível na página do Arquivo Municipal de Évora no separador Descrições Arquivísticas

Instrumento de pesquisa gerado

Zona de documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Descrições relacionadas

Zona das notas

Identificador(es) alternativo(s)

Pontos de acesso

Pontos de acesso - Assuntos

Pontos de acesso - Locais

Pontos de acesso - Nomes

Pontos de acesso de género

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

AMEVR-AI

Identificador da instituição

Arquivo Municipal Évora

Regras ou convenções utilizadas

Direcção-Geral de Arquivos. Programa de Normalização da Descrição em Arquivo. Grupo de Trabalho de Normalização da Descrição em Arquivo – Orientações para a descrição arquivística. [em linha]. 2ª v. Lisboa: DGARQ, 2007. [Consult. 08 Novembro, 2010]. Disponível em WWW<URL http://www.dgarq.gov.pt/files/2008/10/oda1-2-3.pdf ISBN 978-972-8107-91-8.

Estatuto

Nível de detalhe

Datas de criação, revisão, eliminação

Línguas e escritas

Script(s)

Fontes

A própria documentação

Nota do arquivista

Maria do Rosário Piteira Martins
Técnica Superior de Arquivo da Câmara Municipal de Évora

Zona da incorporação

Assuntos relacionados

Pessoas e organizações relacionadas

Géneros relacionados

Locais relacionados